9 dicas para economizar na compra do material escolar

10 de janeiro de 2015

Preço médio dos produtos aumentou 8%, mas pode ser compensado com estratégias de economia






Todo ano é a mesma coisa: você sai para comprar o material escolar do seu filho e quase cai de costas quando vê o valor total da conta. Desta vez, o susto poderá ser um pouco maior. É que a média de preço desse tipo de produto terá aumento de 8% em janeiro, de acordo com previsão da Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (ABFIAE).
“Isso se deve à elevação do custo de matérias-primas como papel, tinta e plástico, ao reajuste salarial de categorias profissionais ligadas ao setor e ao aumento da taxa do dólar”, explica Ricardo Carrijo, diretor de relações institucionais da associação. A alta carga tributária também puxa o preço do material para cima. “Uma caneta tem 47% de impostos”, destaca o especialista.
Se vocês, pais, já estão desesperados com o anúncio do aumento, calma! É possível diminuir o peso das compras do material escolar no orçamento, com técnicas inteligentes e conscientes. Veja as estratégias sugeridas pelos especialistas em educação financeira Ana Paula Hornos e Mauro Calil:


1. Melhor oportunidade: Pesquise preços em diferentes lojas em busca de ofertas, inclusive em sites de lojas e sebos na internet. Guarde folhetos de promoção e, se possível, concentre as compras em um único estabelecimento, para tentar um desconto no valor total

2. Sem os filhos: Os produtos infantis mais atrativos costumam ser também os mais caros. Por isso, o ideal é deixar as crianças em casa, principalmente se elas forem pequenas
3. Compra coletiva: Chame outros pais amigos ou vizinhos e organize um grupo para ir a um atacadista. Os produtos ficam bem mais baratos quando comprados em grande quantidade
4. Custo-benefício: De nada adianta comprar um produto baratinho e ter que substituí-lo meses depois. Invista um pouco mais em materiais que podem durar o ano todo (e até mais, se forem bem cuidados)
5. Cofrinho: Comece a se preparar para a lista do ano que vem agora mesmo. Basta separar, todos os meses, um valor baixo, como R$ 30, e fazer uma espécie de poupança, para que o gasto total pese menos no bolso
6. Reaproveitamento: Antes de comprar tudo novo, veja o que pode ser reutilizado ou até reformado. Estimule seu filho a cuidar do material, encape livros e cadernos para fazê-los durar mais e aposte na troca de produtos com amigos e familiares. Informe-se também sofre feiras de troca e sebos em sua região
7. Opção de pagamento: Negocie o custo do produto à vista, porque em alguns casos é possível conseguir bons descontos. Se precisar pagar a prazo, certifique-se de que as parcelas caberão no orçamento mensal
8. Lista justa: Fique atento às regras para a elaboração da lista de material escolar. Por lei, a escola não pode pedir materiais de uso comum, como produtos de higiene e limpeza. Também não é permitido exigir marcas específicas. Observe com atenção a lista e, se for o caso, peça esclarecimentos à diretoria
9. Em caso de troca: Os consumidores têm 90 dias para fazer uma reclamação sobre o produto comprado. Peça sempre a nota fiscal, para garantir que será possível trocar mercadorias com defeito.


Fonte: Abril




4 comentários

  1. Muito boas as dicas, irá ajudar muitas pessoas. Ainda bem que não tenho que pensar nisso ainda. kkk
    Beijos
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  2. Primeiro blog que encontro que faz resenhas de diversos assuntos.Até de alimentos? muito util viu sua iniciativa :)
    http://anunciosparceriasdivulgacao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Lilian!
    Sigo todas essas dicas e ainda sai bem caro rs, mas vamos fazer o que né. Ótimas dicas.
    Beijos
    Luh
    Blog Sempre Belas | Facebook | Instagram |


    ResponderExcluir
  4. ótimo para as mamães se orientarem!

    ResponderExcluir