Brinquedos essenciais para crianças pequenas.

29 de julho de 2014

Olá mamães!
 
Na semana passada, mostramos AQUI com a ajuda da Educar para Crescer, os brinquedos essenciais dos 0 aos 2 anos. Hoje vamos mostrar os melhores brinquedos para ajudar no desenvolvimento de crianças com entre 2 e 6 anos.
 
 
 
Quais os melhores brinquedos para esta fase?
Dos 2 aos 6 anos, as crianças vivem a chamada primeira infância, onde tudo amadurece. Entram nessa fase com uma coordenação motora que permite um andar meio atrapalhado e saem andando de bicicleta sem rodinhas, escrevendo. Começam num faz de conta simples e saem criando altas histórias.

Jogos simples que envolva interação com o outro, jogos que permitam explorar o corpo, bonecos, miniaturas do mundo adulto e ainda os blocos de encaixar são fundamentais.

Veja a seleção de brinquedos orientada por Melina Blanco Amarins, psicóloga responsável pela brinquedoteca do Hospital Israelita Albert Einstein; e Teresa Ruas, terapeuta ocupacional especialista em desenvolvimento infantil.
 
 
Bonecos
É esta a principal fase em que meninos e meninas utilizam bonecos para traduzir o mundo adulto para sua realidade. Ao trocar as fraldas, dar banho, comidinha e até broncas em seus brinquedos, eles fazem o exercício de compreender o que se passa no dia-a-dia das suas casas e escolas. Depois de assistir a uma discussão dos pais, é muito natural e esperado que uma menina brigue com sua boneca, por exemplo. É assim, ao brincar, que elas treinam e experimentam sentimentos novos.
 
 
 
Blocos de montar
Nessa faixa etária, blocos de montar e encaixar, como Lego e kits de madeira, são um bom exercício para a motricidade fina, o raciocínio, a imaginação e a criatividade. Para isso, à medida que as crianças crescem, os kits podem conter peças mais complexas e menores.  
 
 
 
 
Carrinhos e veículos em geral
Além de estimular a imaginação e, assim como os bonecos, ajudar a criança a traduzir o mundo adulto para sua realidade, carrinhos e veículos são um convite ao movimento e esta é uma das fases em que as crianças são extremamente ativas. Entra em jogo também o aperfeiçoamento da coordenação motora. É comum ainda que sintam-se motivados a começar uma coleção.
 
 
 
 
Miniaturas e cenários do mundo adulto
Jogos de panelinha, maleta de médico, fortes apache, bancadas de ferramentas e outros brinquedos que mimetizam cenários do mundo adulto são um hit nessa faixa etária que garantem horas de entretenimento. Além de ampliar o vocabulário infantil, tais objetos são um portal para o universo do faz de conta e, assim como bonecos e carrinhos, ajudam meninos e meninas a interpretar a realidade adulta.
 
 
 
 
 
Jogos de sociedade
Os jogos são fundamentais na vida da criança. Por meio desta brincadeira, elas podem errar e têm a chance de acertar em outro momento. A partir desta idade, meninos e meninas ainda não têm a concentração muito apurada, mas já começam a mostrar interesse em repartir as atividades e permitir que outros entrem na brincadeira. É o momento de introduzir nos momentos de diversão jogos com regras simples, como "pode ou não pode", e rodadas rápidas. Memória, dominó e loto são alguns bons exemplos.
 
 
 
 
Jogos de habilidade
Além de promoverem a interação com o outro, jogos como boliche, por exemplo, ajudam a estimular a motricidade fina que desaponta em crianças com menos de 1 ano, quando eles já conseguem pegar objetos miúdos com as pontinhas dos dedos indicador e polegar.
 
 
 
 
Quebra-cabeças
Quebra-cabeças com poucas peças ajudam a estimular o raciocínio lógico, a concentração, a observação e a persistência. Uma boa ideia é propor um desafio crescente à criança. Inicialmente a meta pode ser montar repetidas vezes, até se tornar muito fácil, um quebra-cabeças de nove peças, por exemplo. Quando conseguir, passa para a fase seguinte: um jogo com dezesseis peças. Aos 6 anos, em geral já conseguem completar um quebra-cabeças de 25 peças.
 
 
 
 
 
Fonte: Educar para Crescer
 
 
 
 

0 comentários:

Postar um comentário